Clique aqui e acompanhe o resultado das Eleições 2020

VIAGEM

Em 8 horas, Jair Bolsonaro deve visitar três cidades de Mato Grosso do Sul

Governador Reinaldo Azambuja deve acompanhar visita do presidente a Corumbá
18/08/2020 07:45 - Adriel Mattos


O presidente da República, Jair Bolsonaro, deve iniciar sua primeira visita oficial a Mato Grosso do Sul na manhã desta terça-feira (18). Esta é a primeira vez que o chefe de Executivo vem ao Estado desde a posse em 2019.

Segundo o Palácio do Planalto, Bolsonaro embarca para Corumbá às 9h20 de Brasília, devendo desembarcar por volta das 10h de MS. Seu primeiro compromisso é a inauguração de uma nova estação de radares do Destacamento de Controle do Espaço Aéreo.

Após o evento, o presidente almoça na Cidade Branca e vem para Campo Grande assistir a um exercício de treinamento de 700 militares da Força Aérea Brasileira (FAB). Este compromisso não consta na agenda oficial.

À tarde, Bolsonaro viaja para Nioaque, cidade onde morou durante sua passagem pelo Exército Brasileiro, como tenente do 9° Grupo de Artilharia de Campanha. A visita está agendada para 15h30.

Ele deixa o Estado por volta das 17h, partindo de Campo Grande.

 
 

AUTORIDADES

O governador Reinaldo Azambuja estará em Corumbá para acompanhar o presidente. O senador Nelson Trad Filho (PSD) e o deputado federal Luiz Ovando (PSL) vão desembarcar juntos com Bolsonaro.  

A senadora Soraya Thronicke (PSL) também estará na Cidade Branca. A sul-mato-grossense Tereza Cristina (DEM), ministra da Agricultura, estará na comitiva presidencial.

Além dela, compõem o grupo o ministro-chefe do Gabinete da Segurança Institucional (GSI), Augusto Heleno, o ministro da Defesa, Fernando Azevedo e Silva e o comandante da Aeronáutica, tenente-brigadeiro-do-ar, Antonio Carlos Moretti Bermudez.

 

Felpuda


Tropas de choque ligadas a alguns vereadores estão agitadas que só nas redes sociais na tentativa de desbancar a concorrência das “chefias” que querem porque querem. Querem a cadeira maior da Câmara Municipal de Campo Grande. A da presidência.

Segundo políticos mais antenados, trata-se do “segundo turno” das eleições do dia 15 de novembro, só que com apenas 29 eleitores.