Clique aqui e veja as últimas notícias!

RECUPERAÇÃO ECONÔMICA

Plano de recuperação prevê R$ 1,3 bilhão em obras e geração de 20 mil empregos

Prefeito anunciou que investimentos serão feitos em todas as áreas e regiões da cidade
27/11/2020 11:01 - Glaucea Vaccari , Rodrigo Almeida


Prefeito de Campo Grande, Marcos Trad (PSB) lançou, nesta sexta-feira (27), Plano de Recuperação Econômica que prevê investimentos de R$ 1,3 bilhão em projetos e geração de mais de 20 mil novos empregos.  

Chamado de Reviva Mais, O plano tem medidas de curto e médio prazo, que tem como objetivo retomar investimentos públicos e privados e recuperar empregos na Capital.

Acompanhe as últimas notícias

Conforme o prefeito Marcos Trad, os mais de R$ 1,3 bilhão são recursos já garantidos, com projetos aprovados em várias áreas e que abrangem todas as sete regiões da Capital.  

“Vão desde a área de unidades de saúde, vão para educação, vão para infraestrutura, para mobilidade urbana, segurança pública, habitação e até para o bem-estar animal, direitos das mulheres, da juventude, direitos humanos, do trânsito e da segurança da nossa cidade”, disse o prefeito.

Entre as obras que serão realizadas, Trad antecipou que o asfalto do Rita Vieira, que era pedido antigo de moradores, está no pacote, além de recapeamento em todas as saídas de Campo Grande, com paisagismo, lâmpadas de led e ciclovia em alguns pontos.

“Hoje eu assino a licitação do Rita Vieira. Algumas obras já estão em andamento e a sequência será uma em seguida da outra”, disse, sobre o cronograma de obras.  

Ainda conforme o chefe do Executivo Municipal, o objetivo do programa Reviva Mais é atrair mais empresas, para que gerem empregos e tragam "desenvolvimento e progresso" para a cidade.

“Como é que você atrai o investidor? Diminuindo impostos e oferecendo atrativos. Quais são esses atrativos? São taxas menores e a contrapartida é a contratação de pessoas que trabalham dentro da nossa cidade”, explicou Trad.

O plano se divide em quatro grandes eixos, com obras e investimentos públicos; medidas de desburocratização de empreendimentos privados; incentivos fiscais e acesso ao microcrédito.