Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

BALANÇA COMERCIAL

Exportações de celulose chegam a 52,28% e sustentam a balança de MS

A carne de bovinos e outros produtos de carne ocuparam o segundo lugar de participação nas vendas
13/02/2020 11:00 - Thiago Gomes


 

As exportações de celulose atingem 52,28% do total de produtos exportados pelo Mato Grosso do Sul no mês de janeiro deste ano, e continuam sustentando a balança comercial do Estado. Pela Carta de Conjuntura de fevereiro, divulgada pela Secretaria Estadual de Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), em relação ao volume vendido ao exterior, houve um crescimento de 21,25%, saltando de 386,4 mil toneladas em janeiro do ano passado, para 468,5 mil toneladas, em janeiro deste ano.

O principal município exportador do produto em janeiro foi Três Lagoas, com cerca de 58,49% dos valores exportados, com composição baseada principalmente nas exportações da indústria de papel e celulose.

O segundo, entre as principais mercadorias movimentadas ao comércio exterior, é a carne bovina e outros produtos de carne, com 18,4% de participação, com crescimento em termos de valor de 29,83% em relação a janeiro de 2019. Já em termos de volume, houve aumento de 13,37%, comparado a janeiro do ano passado.

De acordo com a Semagro, em se analisando o destino das mercadorias, os levantamentos apontam que houve uma concentração nas vendas para a China, que representaram em janeiro último cerca de 42,51% do valor total das exportações. Os países com maior aumento da participação foram Tailândia e Japão. A maior queda foi registrada na comercialização para a Holanda.

Ainda conforme a Carta de Conjuntura, a surpresa para o mês foi a venda de minério de ferro ao mercado externo, que cresceu 22%, caminhando na contramão do ano passado.  

PRODUTOS FLORESTAIS

Conforme a Federação de Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (Famasul), de um modo mais amplo o Estado é o segundo maior exportador de produtos florestais do País. No ano passado foram comercializados mais de US$ 2 bilhões, ficando atrás somente do Paraná. Em 2019, os itens florestais ficaram em primeiro lugar no ranking de exportações do agronegócio sul-mato-grossense, projetando o Estado como 2° maior exportador do segmento em todo o Brasil.  

Dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) mostram que a cadeia produtiva foi responsável por 40,6% da comercialização do setor no Estado – mais de 4,2 milhões de toneladas, resultando em US$ 2 bilhões em receita.  

A analista técnica do Sistema Famasul, Bruna Dias, destaca a importância da atividade para a economia estadual. “O produto florestal com maior destaque nas exportações é a celulose, que representou 97,7% do volume exportado em 2019”, afirma.

Ainda de acordo com o Mapa, Mato Grosso do Sul é responsável por 15,7% de participação na comercialização do setor no Brasil. “O estado é o segundo maior exportador de produtos florestais no ranking nacional, ficando atrás somente do Paraná”, explica Bruna.

Em 2019, o valor comercializado foi 3,6% superior ao acumulado de 2018, que resultou em uma produção de quatro milhões de toneladas e US$ 1,9 bilhões.

Também no último ano, a China foi o destino de 58,8% das exportações de produtos florestais de Mato Grosso do Sul e, em seguida, os Estados Unidos, com 10,14%.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...