Clique aqui e veja as últimas notícias!

CLÁUDIO HUMBERTO

Presidente Bolsonaro: “Uma excelente notícia”

Presidente Bolsonaro sobre a criação de quase 400 mil empregos formais em outubro
27/11/2020 08:16 - Cláudio Humberto


Boulos cresce, mas Covas ainda segue favorito

A esquerda gourmet da Av. Faria Lima está eufórica com o crescimento de Guilherme Boulos em São Paulo, mas o problema para o candidato do Psol é o eleitorado consolidado de Bruno Covas.

De pouco adianta Boulos crescer se o prefeito não cai nas intenções de voto, lembra Murilo Hidalgo, presidente do Paraná Pesquisas. Ao menos com 48% segundo vários institutos, Bruno Covas é quem tem a mão mais próxima da “taça”.

Secando tucano

Se cresce em flecha, Boulos chegará domingo (29) bem próximo do líder. Mas, para vencer, terá de torcer para Covas perder ao menos 4 pontos.

Vexame à vista

O Ibope apurou crescimento de 2 pontos de Boulos, mas a XP/Ipespe diz ter sido 9. Um dos dois errou a ponto de sair do ramo, fechar as portas.  

‘Eleitor’ inesperado

A campanha de Boulos no 2º turno foi mais eficiente, mas o ajuda muito a rejeição dos paulistanos ao governador João Doria: 51%, diz o Ibope.

Nem tanto assim

A euforia ainda não fez a esquerda caviar paulistana seguir o caminho de Boulos, que trocou seu endereço chique pela periferia pobre da cidade.

Segurança de embaixador espanta catarinenses

O embaixador americano Todd Chapman, que estudou no Brasil quando jovem e tem publicado posts simpáticos sobre o País anfitrião, comporta-se como se estivesse em Bagdá ou Cabul. 

Na noite de quarta (25), ele saboreou com familiares a comida japonesa do Sushi Yama, bairro Canto da Lagoa, em Florianópolis. Mas o restaurante foi solicitado a impedir a entrada de clientes antes da chegada do figurão, protegido por seis “marines”. 

Aparentemente havia outros seguranças fora do restaurante.

Amigo inseguro

Espantou, até assustou, clientes do restaurante o esquema de segurança do embaixador que se orgulha da amizade ao presidente Bolsonaro.

Atenção redobrada

Após o jantar, os familiares deixaram o restaurante, mas a segurança fez Chapman esperar 7 minutos até se certificar de que não corria riscos.

Rotina abrasileirada

A coluna quis saber o que o embaixador tanto teme no Brasil. Mas não houve quem atendesse o nosso telefonema: era feriado de Thanksgiving.

STF em xeque

Teve o “dedo” do ministro José Levi (AGU), advogado brilhante, a decisão de Bolsonaro abrindo mão de depor no inquérito de “interferência na PF”. 

O recado é: se há prova, que o indiciem. Mas no Planalto até as paredes estão convencidas de que o objetivo era humilhar o presidente.

Guardião não é isso

Após espalharem que o STF não vai barrar a manobra ilegal para Rodrigo Maia e Alcolumbre se reelegerem, o senador Álvaro Dias (Pode-PR) indagou: “Quer dizer que o Supremo vai rasgar a Constituição?”

Direita, volver

Após o casamento de jacaré com cobra d’água, que uniu DEM e PDT em Salvador, no primeiro turno, o senador Cid Gomes (PDT-CE), um ex-tucano, defende união do PDT ao PSDB. Ainda faltam PTB, PP etc.

Ernesto mandou bem

A visita e ontem do chanceler Ernesto Araújo à Guiana, que faz fronteira com a Venezuela, deve ter deixado o ditador Nicolás Maduro paranoico. E com toda razão. A Guiana é parceiro estratégico do Brasil na região.

Covardia, Petrobras

Chega a ser covarde o novo aumento de 4% no preço dos combustíveis, imposto pela Petrobras treze dias depois do anterior. A estatal continua fazendo pouco dos brasileiros. Até a próxima greve dos caminhoneiros.

Todos precisam comer

O agronegócio brasileiro continua dando show e, apesar de todos os percalços da pandemia, a participação de produtos agropecuários nas cargas dos portos brasileiros subiu 33% em relação ao ano passado.

Entre a cruz e a espada

O medo do contágio pela covid levou pacientes com câncer a abandonar tratamentos. Segundo a Sociedade Brasileira de Radioterapia, a queda no atendimento é preocupante: caiu em mais de 50% em muitos casos.

Hipocrisia justificada

O adeus ao craque Diego Armando Maradona foi classificado como "aglomeração", mas as críticas de sempre foram acompanhadas de ressalvas de "precisamos entender o sentimento dos argentinos".

Pensando bem...

...investigado permanecer em silêncio não é novidade, inédito é o presidente manter a boca fechada.

PODER SEM PUDOR

Comida aos cães

Oswaldo Trigueiro de Albuquerque Melo ficou morto de vergonha ao ver, pela manhã, a mesa arrumada para o jantar em sua homenagem, que deveria ter sido realizado na noite anterior. Governador da Paraíba nos anos 1950, ele não conseguiu chegar a tempo a Itaporanga. 

Pediu desculpas ao prefeito, Abraão Diniz, mas não adiantou. Diniz respondeu sem nem olhar para ele, segundo relato do jornalista paraibano Heraldo Nóbrega: “Tem nada não, governador, eu vou dar a comida aos cachorros. Afinal de contas, é tudo a mesma coisa...”