Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”,

de JAIR BOLSONARO // sobre a criação de um novo programa para atender a população de baixa renda.
16/09/2020 05:00 - Giba Um


Até 2022, no meu governo, está proibido falar a palavra Renda Brasil. Vamos continuar com o Bolsa Família e ponto final”,  de JAIR BOLSONARO // sobre a criação de um novo programa para atender a população de baixa renda.

O governo vai tentar empurrar Arthur Weintraub, irmão do ex-ministro Abraham Weintraub e assessor especial de Jair Bolsonaro para o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). 

Mais: e a tentativa não é em vão e está muito bem pensada. Seria a contrapartida pelo apoio do Brasil à eleição de Mauricio Claver Carone, candidato de Donald Trump para a presidência do BID. 

In – Macarrão à parisiense

Out – Macarrão caprese

 
 

Cobrança Excessiva

A atriz e agora empresária (em agosto lançou sua grife chama Ginger) Marina Ruy Barbosa, 25 anos, está na capa da revista Glamour Brasil. Após temporada em Los Angeles, conta por que resolveu criar uma grife. “Conquistei muitas coisas na minha carreira como atriz, mas sentia o desejo de gerir um negócio próprio. Tudo isso é resultado de amadurecimento pessoal e profissional”. Ainda falou que agora está se cobrando menos: “Comecei a entender que estava pesado demais carregar a cobrança que eu fazia a mim mesma. Antes que eu ficasse doente, me dei conta de que não podia mais me tratar assim. É sofrido. Mas é um aprendizado contínuo”. Marina ainda segue como garota-propaganda de grandes marcas, entre elas Eudora, Renault, Pantene, Colcci, Vivara e Valisere. A atriz está cotada para viver a vilã de Além da Ilusão, de Alessandra Poggi , novela da faixa das 18h que deve estrear no segundo semestre de 2021.

Dívida bilionária

Não é sempre que o presidente veta alguma lei recém-aprovada, para em seguida pregar que o Congresso derrube o veto. E logo depois anunciar que enviará ao Legislativo uma PEC, cujo objetivo é permitir aquilo que a Constituição o impede de fazer: eliminar uma dívida bilionária de igrejas com o Fisco, provenientes de contribuições (não impostos) sonegadas. Na primeira Constituição da República, em 1891, ficaram separados Igreja e Estado. Nada mais surpreende se Bolsonaro, em quase 19 meses de governo, quando ele demonstra preocupação apenas teórica com as finanças públicas e agora com as instituições. A bancada da fé e outros mais já estão se unindo para a derrubada do veto: é o que Bolsonaro quer.

 
 

Rainha das lives

A cantora Simone, 70 anos, desparecida da mídia por alguns anos, agora por causa da pandemia teve que se reinventar e é considerada a rainha da lives. Desde que resolveu se entregar ao mundo das lives se programou para fazê-las semanalmente e as mesmas acontecem sempre aos domingos, às 18 horas, no Instagram. Ela confessa: “Todo artista tem que ir aonde o povo está. Eu não sabia nem usar WhatsApp. Tive que me adaptar, aprender rápido tudo. Mas sentia que precisava estar junto com meu público, me conectar de algum jeito nesse momento tão difícil para todos nós”. 

Vacina da Covid

333 Independente da obrigatoriedade, levantamento do Paraná Pesquisa revela que 61,2% dos brasileiros pretendem tomar a vacina contra o Covid-19, assim que estiver disponível. Outros 26,9% dizem que a depende do país de origem da vacina e apenas 8% não pretendem se submeter à imunização. Se for obrigatória, 55,2% são a favor 38,6% contrários e 6,2% não opinaram.

Pós Covid

Pesquisa do Instituto Locomotiva sobre o pós-Covid, entrevistando 2,4 mil brasileiros, revela que 61% se dizem otimistas em relação ao futuro, 49% seguirão com máscaras e 53% adotarão álcool gel para sempre.

 
 

Reta final

A quatro meses e meio do final do mandato do presidente da Câmara e com limitadas chances de reeleição, Rodrigo Maia dá entrevistas sobre o tramite de reformas, com a administrativa, mesmo sabendo, até pela falta de acordo e tempo exíguo. Prestes a sair de cena, ele aproveita os holofotes, arruma confusão com Bolsonaro, Paulo Guedes e o que vier. Com a pandemia, recesso de mais de um mês, eleição e campanha no Congresso, sobram-lhe dois meses uteis de cargo.

Atrás da pandemia

O déficit primário consolidado do setor público, que era estimado em cerca de 1,5% do PIB para este ano, antes da pandemia, pulou para 13,4% do PIB e a dívida bruta com proporção do PIB, que era de 85% com tendência de queda, subiu para 95,9%. O PIB, este ano, cresceria 2,2% e agora projeta-se contração de 5,4%, segundo dados do Boletim Marco do Instituto Brasileiro de Economia da FGV. Esse era o Brasil em fevereiro deste ano confrontado com o período de pandemia.

PRATELEIRAS

Candidatos a prefeito no interior do Rio e até muitos vereadores de todas as cidades, incluindo a capital, querem fazer campanha com foto ao lado de Bolsonaro. Não é bem assim: Flávio e Carlos Bolsonaro respondem pela interlocução com os nomes de maior interesse do clã, a começar por Marcelo Crivella e o pessoal da “série B” fica por conta de Hélio Lopes, mais conhecido como Hélio Negão.

Privilégios

A greve pela manutenção das regalias dos funcionários continua nos Correios que, cada vez mais, inviabilizam um processo de desestatização. Além dos R$ 600 milhões por ano (folha salarial de R$ 12 bilhões), os prejuízos somam quase R$ 2,5 bilhões apenas em 2020. Atém em férias, os funcionários recebem “auxílio-alimentação” de R4 1 mil. Se trabalhar em dia de repouso, ganha adicional de 20%. Pela lei, trabalhador tem direito a abono de férias de um terço do salário. Mesmo quebrado, os Correios pagam dois terços.

DESOVA

O Ministério da Saúde tem consultado países vizinhos – a exemplo de Paraguai e Equador – na tentativa de desovar parte de seus estoques de hidroxicloraquina. São mais de três milhões de comprimidos. Isso porque outros cinco milhões já foram distribuídos pelo Brasil e agora estorvam os estoques das secretarias municipais e estaduais de Saúde. 

Cuidado total

O Ministério da Saúde terá de redobrar os cuidados para a próxima edição do programa “Ações de Educação em Saúde em defesa da vida”, marcada para dia 18 em Belo Horizonte. Na semana passada, no Ceará, o evento com a presença do ministro interino, Eduardo Pazzuelo, foi um pandemônio. O auditório do Centro Universitário Christius ficou lotado e muita gente estava sem máscara. A Vigilância Sanitária foi chamada e multou a instituição. Em Fortaleza, eventos com mais de 100 pessoas são proibidos.

Sem computador

Em pleno século 20, o Brasil ainda tem 16% de suas escolas sem computador, 6% sem esgoto e 3% sem energia elétrica ou água. Esses percentuais são mais preocupantes nos 5% de municípios com menor gasto por aluno (média de R$ 3.051 por ano). Nessas redes, a proporção das unidades que não tem computador chega a 37%, as sem esgoto são 17%, as sem energia totaliza 10% e as em água 7%. Dados da área de educação da consultoria Idados.

EMPATE TÉCNICO

Uma pesquisa feita pela XP/ Ipespe mostrou que a aprovação do presidente Bolsonaro ainda não é um fato consumado. Apenas 39% dos entrevistados classificam como ótimo ou bom o governo de Bolsonaro, 36% classificaram como ruim ou péssimo. Os entrevistados também deram uma nota ao presidente (5,1) uma pequena alta se comparado a pesquisa anterior em agosto quando tinha a média 4,7. Já fora do governo há quatro meses Sérgio Moro, ex-ministro da Justiça também foi avaliado e sua nota caiu de 6,5 em agosto para 5,7 em setembro.

MISTURA FINA

  • FALTAM dois meses para a eleição municipal deste ano, mas apenas o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, se esforça para manter o assunto vivo no noticiário. Ninguém está nem aí.
  • EM Brasília, poucos acreditam em coincidências no fato do ministro Celso de Mello negar prerrogativa ao presidente Bolsonaro, obrigando-o a constrangedor interrogatório na PF, um dia depois do ministro Luiz Fux defender prerrogativas constitucionais dos demais poderes.
  • BATEU uma luz de otimismo na Avenida Chile: o BNDES trabalha para a privatização do braço de distribuição da gaúcha CEEE seja realizada ainda este ano. Com pandemia e tudo.
  • NOS últimos dias, políticos ou autoridades que mais mencionaram o coronavírus nas redes sociais foram Benedita da Silva (PT) e Guilherme Boulos (PSOL). A posição era tipicamente de Osmar Terra (MDB-RS).
  • UM projeto de deputados do PT quer transformar em crime o governo realizar qualquer privatização sem “autorização” do Congresso, incluindo subsidiárias. Até o Supremo já decidiu contra isso.
  • CRISTIANE Brasil, filha de Roberto Jefferson, que quase virou ministra do Trabalho na gestão de Michel Temer, foi presa pela Polícia Federal em operação que investiga desvios de contratos de assistência social. Ninguém se surpreendeu e até o pai não teve muito o que fazer.
  • DE acordo com o Instituto para Produtividade Corporativa, 27% das empresas americanas abandonaram inteiramente os esforços em favor da diversidade e da inclusão em suas cadeias de produção em razão da crise sanitária. Por aqui não muito diferente.
  • WILSON Witzel não está sozinho. O governador de Santa Catarina, Carlos Moisés, está convicto de que o clã Bolsonaro trabalha pesadamente junto ao STJ pelo se afastamento definitivo do cargo. A exemplo de Witzel, Moisés enfrenta um processo de impeachment.
  • A COMISSÃO de Relações Exteriores do Senado fará no dia 21 a primeira reunião presencial desde março, para sabatinar 34 diplomatas indicados para postos mundo afora. Serão três sessões num só dia.
  • PRESIDENTE da Associação Nacional dos Usuários de Transportes, Luiz Henrique Baldez garante que trechos abandonados ou subutilizados somam quase 60% de toda a malha ferroviária brasileira.

Felpuda


Depois de se “leiloar” durante meses, e afirmando que estava até escolhendo o município para se candidatar a prefeito, ex-cabeça coroada não só não recebeu acenos amistosos, como também não encontrou portas abertas com tapete vermelho a esperá-lo. 

Assim, deverá pendurar as chuteiras e fazer como cardume em seu pesqueiro: nada, nada...