Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

GIBA UM

“Difícil entender tanta troca de ministros: Saúde e Educação. Salvar vidas e educar leva tempo. Inclusão, não exclusão. Com tanta gente capaz, como errar tanto?”

Fernando Henrique Cardoso, sobre as constantes trocas das duas pastas durante o governo Bolsonaro
06/07/2020 02:00 - Giba Um


“Difícil entender tanta troca de ministros: Saúde e Educação. Salvar vidas e educar leva tempo. Inclusão, não exclusão. Com tanta gente capaz, como errar tanto?”

de FERNANDO HERINQUE CARDOSO // sobre as constantes trocas das duas pastas durante o governo Bolsonaro.

 

Considerando o dólar como referência nos primeiros seis meses de 2020 a queda da Ibovespa ficou em 39,50% à frente do México que teve perdas de 29,13%, a bolsa da África do Sul perdeu 23,10%.

Mais: a bolsa da Argentina teve desvalorização de 21,11%, a da Rússia 21,71%. e o Chile recua 22,79%. Nos Estados Unidos, com o índice Nasdaq, apontou ganhos de 12,11% e o Dow Jones cai 9,55%.

 
 

Negócios em família

As irmãs Kendall (24 anos) e Kylie (22 anos) Jenner fecharam mais uma parceria ao lançar uma coleção de maquiagens assinada por Kendall para Kylie Cosmetics. As duas já são companheiras em uma linha de roupas e acessórios. Apesar de ter sido lançando somente agora o projeto já existe há dois anos. A coleção tem oito produtos diferentes, entre eles, uma paleta de sombras de 15 tons, um pó compacto de textura cremosa, glossy, batom líquido matte e um lápis labial. Kylie Cosmetics  é avaliada em US$ 900 milhões e, a Coty Inc. comprou 51% da empresa no final de 2019. Além de sua própria coleção, sua mãe Kris e as irmãs Kim e Khlóe Kardashian também já colaboraram com a linha de cosméticos da empresa. Os produtos da coleção da Kendall se esgotaram em menos de 24 horas do lançamento e nova remessa já está sendo feita.

007 à brasileira

No episódio do professor Carlos Decotelli, o general Augusto Heleno disse que a Abin não tem a obrigação de averiguar currículos. Deveria ter, mas atravessa um momento de sufoco, com o mesmo Heleno batalhando por um aumento significativo do orçamento. Seu antecessor, o general Sérgio Etchegoyen, também tentou. A dotação de R$ 600 milhões previstas para este ano é insuficiente. Quase 90% são sugados pelos gastos de pessoal. A Abin necessitaria, pelo menos, o dobro para chegar perto de suas similares internacionais. Aquisições de equipamentos estão parados. Compras de softwares de monitoramento e sistema de rastreamento estão pendentes há mais de três anos. Outro problema é a mudança do método de contratação de servidores da Abin. Concursos públicos se tornaram um modelo burocrático, incapaz de arregimentar profissionais que atendam às necessidades de Serviço de Inteligência. Atividades básicas, à exemplo de obtenção de dados a partir de fontes abertas e de leitura, análise e cruzamento de informações a partir do trabalho de campo, não tem sido desempenhadas contento pelas limitações de parte dos recursos humanos da Abin. Agora, entre os generais do Planalto discute-se o recrutamento direto de profissionais. É o método de todos os grandes países.

 
 

Cobra venenosa

A funkeira Ludmilla, 25 anos, em meio as polêmicas com Anitta e depois de ganhar o processo que movia contra Val Marchiori, onde receberá uma indenização de R$ 30 mil reais lança nova música Cobra venenosa, em parceria com DJ Will 22. Ela comentou que a música não foi feita para Anitta, apesar da “rival” ter a música. A canção foi feita há três anos. Mais: Ludmilla revelou que para as filmagens do  novo clipe, todas as pessoas envolvidas foram submetidas a testes de Covid-19 e por isso descobriu que tanto ela quando a mulher, Bruna Gonçalves, testaram positivo para anticorpos da doença.

Esquerda

333 O MDB vai apoiar Bruno Covas em sua tentativa de reeleição em São Paulo. E a centro-esquerda está mais do que dividida. Pelo PT, o secretário Jilmar Tato enfrenta resistência dentro de seu partido; o PSOL deve lançar uma chapa com Guilherme Boulos e Luiza Erundina; o PSB aposta em Márcio França e o PDT lançou Antônio Neto, mas pode negociar com França; e o PCdoB quer lançar o deputado Orlando Silva. O solidariedade articula a pré-candidatura da ex-prefeita Marta Suplicy.

 

In – Suéter gola redonda

Out – Suéter gola V

 
 

Em alta

O novo ministro das Comunicações, Fábio Faria, começa a cair nas graças dos quatro estrelas do Planalto. O motivo é a disposição de Faria de domar os desvarios do titular da Secom, Fábio Wajngarten. À propósito, discute-se a contratação do jornalista Luiz Ernesto Lacombe, da Band para a equipe de comunicação do governo. Ele foi afastado por excessivo apoio à gestão do presidente.

Currículo

Com a pandemia superando a marca de 60 mil vítimas, o prefeito de Itabuna, Fernando Gomes avisou: “Mandei fazer o decreto que no dia 9 abre. Morra quem morrer”. O país assiste a reabertura descontrolada do comércio. Gomes virou prefeito em 1977 com Geisel no poder. Aos 81 anos, está no quinto mandato municipal. Foi chamado de “marajá dos marajás”, recebia o equivalente a R$ 17.600, seis vezes mais do que o govenador da Bahia e tinha na piscina de casa uma cascata artificial de quatro metros de altura. Já tentou dividir a Bahia criando o estado de Santa Cruz. Entre 5.570 municípios, amarga o 5.184º lugar na avaliação do ensino fundamental.

TRÉGUA APARENTE

Se Jair Bolsonaro adotou o estilo “paz e amor”, o STF também experimenta uma espécie de “recuo tático”. Mas, é apenas aparente. Os ministros suspenderam as hostilidades, mas mantém uma espada sobre a cabeça de Bolsonaro. O ministro Celso de Mello retarda a decisão sobre o depoimento à PF como para lembrar, a cada dia, que o presidente é “caso de polícia”.

Capital de giro

É o caso de capital de giro que não gira. O Proger Urbano/ Capital de Giro, programa do Banco do Brasil para pequenas e médias empresas, está devagar, quase parando, mesmo com o funding adicional de R$ 2 bilhões em recursos do FAT. Em pouco mais de duas semanas, apenas oito operações foram fechadas, totalizando 508 mil. Seis outros empréstimos deverão totalizar perto de R$ 864 mil. Em tempos de pandemia e morticínio de empresas, é pouco.

OPERADOR

O procurador-geral da República, Augusto Aras, vai pedir à Justiça a extradição do advogado Rodrigo Tacla Duran.  Foragido na Espanha desde 2016, ele responde por quatro ações penais por lavagem de dinheiro e é acusado de ter sido operador de empreiteiras na Lava Jato. Paralelamente a PGR negocia com a defesa de Duran um acordo de delação premiada.

Violação

O presidente Jair Bolsonaro sanciona uma lei, com alguns vetos sobre a obrigatoriedade de uso de máscaras de proteção em espaços públicos.  O uso do item de proteção será obrigatório em transportes públicos, incluindo táxis e carros de aplicativos, aeronaves e embarcações fretadas. Mas por outro lado, o uso  não será  obrigatório em órgãos e entidades públicas e em estabelecimentos comerciais, industriais, templos religiosos e demais locais fechados. O argumento usado pelo  presidente é “incorre em possível violação de domicílio”.

No trânsito

No Brasil, uma pessoa morre a cada 15 minutos em um acidente de trânsito, o que resultou em aproximadamente 35 mil mortes em 2017, uma queda de 18% em relação a 2010, quando morreram cerca de 42 mil pessoas. São dados do Ministério da Saúde. Em 2018, os acidentes de trânsito causaram cerca de 183 mil internações que custaram R$ 365 milhões ao SUS, visto que se estima em 32 mil o número de mortes naquele ano. Assim, o Brasil garantiu o quinto lugar – no início da década era o quarto – entre os países com mais mortes em decorrência de acidentes de trânsito, segundo a OMS, num ranking de 178 países.

PANORAMA

Hoje, a União Europeia tem algumas das estradas mais seguras do mundo e assim, segundos últimos dados de 2018, somando os números dos 28 Estados-membros, cerca de 25 mil pessoas perderam a vida em acidentes de trânsito naquele ano, uma diminuição de 21% em relação a 2010. Nos Estados Unidos, em 2018, as mortes decorrentes de acidentes atribuídos ao consumo de álcool caíram cerca de 4%, a menor percentagem desde 1982. Na Nova Zelândia, 352 mortes e 2019 e no Japão no mesmo ano, 3.215, um número recorde e uma queda de 317 em relação a 2018.

MISTURA FINA

  • O GOVERNO Bolsonaro tem um novo fetiche: o ingresso na Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), que trará uma série de benefícios ao Brasil. Da mitigação das críticas ao comportamento ambiental da gestão de Bolsonaro até a atração de investimentos para construção de cassinos de destravamento do comércio exterior.
  • ALÉM do exemplo do professor Carlos Decotelli, o governo passou por outro vexame recentemente. Alexandre Cabral ficou 24 horas na presidência do Banco do Nordeste, após a “descoberta” de que é alvo de investigação do TCU por irregularidades na Casa da Moeda. E isso porque o TCU mandou avisar.
  • O GOVERNO mineiro pretende protocolar, até agosto, na CVM, o pedido de abertura de capital da Gasmig. É pura pirotecnia, dizem os avalistas, porque nem o mais otimista dos assessores do governador Romeu Zema acredita que a operação sai este ano.
  • DEMOROU, mas o INSS começou a processar os pedidos de aposentadoria de professores da rede básica que contribuíram até 13 de novembro de 2019, antes da reforma da Previdência. O sistema do instituto não contemplava as regras de transição para o novo regime. Os benefícios serão pagos entre julho e agosto.
  • A ALA ideológica tenta retomar o controle do Ministério da Educação. Agora, começou a circular com mais força o nome de Mauro Luiz Rabelo, professor da Universidade de Brasília e que já atuou como secretário da Educação Superior do MEC na gestão Vélez Rodriguez, o primeiro ministro da Educação.
  • MARIA Aparecida Firmo Ferreira de 80 anos, avó da primeira-dama Michelle Bolsonaro, foi encontrada por amigos caída na rua com falta de ar. Foi levada para o Hospital Regional de Ceilândia onde está em estado grave na UTI com suspeitas de covid-19.
  • DE volta ao seu país natal, os Estados Unidos, Meghan Markle, está muito engajada na luta contra o racismo e opressão das mulheres. Junto com a família (marido príncipe Harry e o filho) ela quer retomar a carreira de atriz. Só que há quem garanta que ela tem outros projetos: ingressar na carreira política e até sonha em concorrer à presidência do EUA em 2024.

(Colaboração: Paula Rodrigues)

Felpuda


Dia desses, há quem tenha se lembrado de opositor ferrenho – em público –, contra governante da época, mas que não deixava de frequentar a fazenda de “sua vítima” sempre que possível e longe dos olhos populares. Por lá, dizem, riam que só do fictício enfrentamento de ambos, que atraía atenção e votos. E quem se lembrou da antiga história garantiu que hoje ela vem se repetindo, tendo duas figurinhas carimbadas nos papéis principais. Ô louco!