Clique aqui e veja as últimas notícias!

ALERTA DE TEMPESTADE

Temporal causa alagamentos, desabriga famílias e previsão é de mais chuva

Pelo menos até o sábado (16), há risco de chuvas intensas e ventos fortes, de até 100 km/h
13/01/2021 14:50 - Glaucea Vaccari


Em alerta para tempestade, Campo Grande já registrou chuva intensa nesta quarta-feira (13), que causou alagamento em alguns bairros.

Em Corumbá, o estrago foi maior, com águas invadindo casas e deixando famílias desalojadas.

De acordo com o meteorologista, Nathálio Abraão, na região do aeroporto de Campo Grande o volume de chuva chegou a 32,8 milímetros e na região do Caranda Bosque choveu 26,4 mm.

Em Corumbá, a chuva chegou a 123,2 mm na região do aeroporto e mais de 158,6 mm na região da Prainha.

A chuva diminuiu no início da tarde, entretanto durante todo o dia, ainda há possibilidade de temporais na Capital e no interior de Mato Grosso do Sul, conforme alerta vigente do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet).

Pela manhã, as chuvas caíram em áreas isoladas, mas no início da tarde, o temporal ficou mais generalizado, em Campo Grande.

Últimas notícias

Na noite de ontem, a Capital já registrou tempestades, que causaram alagamento e até queda de granizo na região sul.  

Nesta manhã, chuvas de forte intensidade caíram, também nos bairros da região sul. No Parati, a Rua da Divisão virou rio, com água tomando toda a pista e calçada. A enxurrada também invadiu comércios.

No bairro Santo Antônio as ruas também ficaram alagadas, com aguá invadindo calçadas e casas. Os veículos que passam pelo local são quase encobertos pela aguá parada na rua. Moradores da região impedem passagem de veículos pesados para enxurrada não entrar nas casas.

No interior, Corumbá amanheceu sob fortes chuvas nesta quarta-feira. Conforme dados do Inmet, em três horas, choveu 152,2 mm no município, ou seja, em curto de intervalo de tempo, choveu quase o total esperado para o mês, de 155,2 mm.

Animais, idosos e crianças estão entre os resgatados. Os bairros mais afetados foram Cristo Redentor, Popular Velha, Aeroporto, Maria Leite e Cravo Vermelho.

Ladário, cidade vizinha, também registrou chuva forte na madrugada, mas a água baixou rapidamente e não houve necessidade de atendimentos.

Até o sábado (16), as pancadas de chuva intensas devem ocorrer em todo o Estado, com maiores volumes esperados para os municípios da região sul do estado.

De acordo com o Climatempo, o ar quente e úmido que predomina sobre o Brasil estimula a formação de nuvens carregadas, que provocam pancadas de chuva fortes.

O avanço de uma frente fria pelo litoral do sul do País também estimula o aumento da instabilidade sobre o Mato Grosso do Sul.

Há alerta de temporais para todo o Estado, classificado com perigo, em atenção para chuva de moderada a forte, com raios e vendaval, que pode chegar a 100 km/h.

Para esta quarta-feira, previsão é de céu nublado a parcialmente nublado, com aumento da nebulosidade ao longo do dia, chuvas entre 50 e 100 mm e vendaval.

Temperaturas oscilam entre 22°C e 33°C, mas o tempo fica bastante abafado.

Mesmo com as chuvas, a umidade relativa do ar pode ficar baixa em alguns períodos, variando de 30% a 80% ao longo do dia.

Janeiro é o mês mais chuvoso do ano em Mato Grosso do Sul, mas conforme Abraão, embora haja previsão de temporais, os estragos não devem ser grandes.

Estas condições climáticas são típicas da estação do verão, estação caracterizada por temperaturas elevadas, no solo e no ar, que favorecem as mudanças rápidas nas condições do tempo.  

Pancadas de chuva rápidas e de forte intensidade são comuns durante o período, principalmente à tarde, associadas a trovoadas e rajadas de ventos acima de 50 km/h.