Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Taxa de contágio aumenta e MS confirma 926 casos e sete mortes por covid-19

Secretário de Saúde voltou a afirmar que aumento é reflexo das aglomerações do feriado
22/09/2020 12:29 - Glaucea Vaccari


Mato Grosso do Sul voltar a ficar próximo da casa dos mil casos confirmados de covid-19 em um dia. Nas últimas 24 horas, foram confirmados 926 novos casos e 12 mortes pela doença.

De acordo com o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, número é “alarmante e já reflete o afrouxamento social verificado no feriado de 7 de setembro, ou seja, há 14 dias”.

No comparativo, boletim de ontem trouxe confirmação de 185 casos e sete mortes.

Taxa de contágio está em 1,04%. Conforme o secretário, taxa havia apresentado queda, mas voltou a subir.

“Mais uma vez tivemos acréscimo no grau de contágio. Isso significa que estamos colhendo o que plantamos há 14 dias. Eu disse isso no 7 de setembro, que nós iríamos colher frutos daquele afrouxamento geral que houve, aglomerações em Bonito, Rio Verde, na Capital e em vários municípios do interior e a gente tá vendo aí a taxa de contágio aumentando”, disse Resende.

Entre os novos óbitos, seis vítimas eram de Campo Grande, e as demais de Rio Brilhante, Aparecida do Taboado, Miranda, Taquarussu, Aquidauana e Três Lagoas.

Idades das vítimas variam entre 40 e 99 anos e apenas uma não tinha comorbidades.  

Com os novos casos, Mato Grosso do Sul soma 64.959 casos confirmados de coronavírus, com 58,192 já recuperados.

Mortes chegam a 1.191, com média móvel de 12 óbitos por dia.

Entre os casos ativos, 5.119 estão em isolamento domiciliar e 459 pessoas estão internadas nas redes hospitalares públicas e privadas do Estado.  

Campo Grande permanece ocupando o primeiro lugar no ranking estadual com maior número de casos confirmados, seguido por Dourados e Corumbá.

 
 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...