Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

CORONAVÍRUS

Secretário discutirá com ministro da Saúde financiamento para leitos UTI no pós-pandemia

Geraldo Resende disse que leitos abertos nesse período podem ser mantidos, mas dependem de verbas
22/09/2020 11:06 - Glaucea Vaccari


Mato Grosso do Sul recebeu doação de mais um lote de equipamentos para montagem de leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI), para atender pacientes com Covid-19.

Segundo o secretário estadual de Saúde, Geraldo Resende, são oito ventiladores pulmonares e 23 monitores, que poderão equipar novos leitos caso haja necessidade.

“Conseguimos, durante o enfrentamento da pandemia, dotar todas as microrregiões de leitos de UTI, e queremos fazer essa discussão para o pós-pandemia, para que esses leitos permaneçam”, disse.

Conforme Resende, nesta quarta-feira (23) haverá uma reunião com o ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, para discutir o financiamento desses leitos implementados.

Encontro será entre o ministro e o Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass).  

Mato Grosso do Sul tem, atualmente, 457 pessoas internadas por covid-19, sendo 238 em leitos clínicos e 220 em leitos de UTI. 

 
 

Autossuficiência

Resende afirmou também que as duas máquinas para análise de amostras, uma cedida pela Secretaria de Saúde e outra comprada pelo governo, já estão em funcionamento.

Dessa forma, Mato Grosso do Sul passou a ter autossuficiência em testagem e resultados de testes realizados em todo o Estado são entregues em até 72 horas.

Até então, parte das amostras colhidas pelos testes RT-PCR, eram enviadas para laboratórios de São Paulo e Rio de Janeiro para análise.

No Estado, o Laboratório Central de Saúde Pública (Lacen), que já analise parte dos testes, agora é o responsável por todos os exames.

 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...