Especial Coronavírus (COVID-19) - Leia notícias e saiba tudo sobre o assunto. Clique aqui.

PANDEMIA

Covid-19: estudo aponta que taxa de letalidade em Corumbá, MS, é de 3,8

Pesquisadores recomendam medidas mais duras para minimizar avanço da doença, como o lockdown
22/08/2020 17:17 - Adriel Mattos


Um estudo da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS) aponta que houve um crescimento de 225% nas mortes por Covid-19 na primeira quinzena de agosto em Corumbá, cidade no oeste do Estado.

Os índices preocupantes de morbimortalidade são de 3,5 e 1,74 para Corumbá e Ladário, respectivamente, e a taxa de letalidade em Corumbá chegou a 3,8, uma das maiores do estado e bem maior que a média nacional.

Esses são alguns dos apontamentos apresentados no terceiro relatório técnico geocartográfico da macrorregião de Corumbá, divulgado hoje pela Rede Geográfica de Análise da Pandemia em Mato Grosso do Sul, composta por professores, técnicos e estudantes da UFMS, Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) e Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB).

De acordo com os pesquisadores, a faixa etária contaminada se concentra entre 11 e 50 anos; o centro concentra o maior número de casos acumulados, mas a doença se disseminou com força para os bairros mais afastados e a zona rural já tem 18 casos registrados até a data de hoje (21).

O nível de alerta permanece no limite quatro para Corumbá e três para Ladário, mantendo-se a curva em ascensão.

“A região fronteiriça tem 170 mil habitantes e os bolivianos buscam atendimento na Santa Casa, hospital de referência, apesar da fronteira Brasil-Bolívia esteja oficialmente fechada, mas o controle da fronteira seca, por sua extensão, é complexa”, afirma a professora do Campus do Pantanal Elisa Pinheiro de Freitas.

Apesar da necessidade de manter determinadas atividades econômicas operando ainda que com restrições, os pesquisadores consideram que medidas como o lockdown são primordiais para frear o contágio.

“No curto prazo, compreendemos que a medida de deslocamentos essenciais pode impactar na economia da região. Todavia, a garantia da redução dos indicadores, na condição e níveis alcançados por Corumbá, tende a preservar vidas, o sistema de saúde, bem como refletir positivamente na retomada da economia a médio e longo prazo”, afirmam.

 
 

Felpuda


Como era de se esperar, as pesquisas mexeram nos ânimos de candidatos, principalmente daqueles que apareceram com índices pífios.

E assim, muitos deles certamente darão novo rumo às suas campanhas eleitorais.

A maioria, é claro, tenta mostrar otimismo, e o que mais se ouve por aí é que “agora o momento será de virada”.

Como disse atento e irônico observador: “Tem gente por aí que poderá virar, sim. Mas virar gozação!”. Ui...